sábado, 3 de agosto de 2013

O Cântico do Súcubo (Georgette Silen ; Buriti Editora)

O jovem Frei Giacomo (Willian) está em peregrinação pela região sul da Itália. Em uma noite quente de verão, ele segue pela Via Trajana, que liga Barlavento a Brindisi, rumo ao mosteiro das Sagradas Chagas de Assis. Naquele local, ele pretende reencontrar o mestre Malthus e continuar sua trajetória como servo do Senhor.
(Crédito: Il paesaggio di mare, por Lo Spazio di Mauri, no Flickr)

O cansaço o castigava, o joelho ferido doía e o sono queria apoderar-se de seu corpo. Entretanto, o frade teimava em seguir adiante. Uma música estranha, sedutora, passou a assombrar seus ouvidos e o conduziu até um templo pagão. E é ali que se inicia uma épica contenda entre o pudor e a luxúria, o celibato e o desejo de saciar as tentações da carne!

Olhos cor de violeta o enfeitiçaram. Giacomo lutava para não sucumbir à tentação de ser dominado por uma fêmea invisível, mas que podia ser sentida, à plenitude, a cada movimento sensual de seu corpo. O toque doce e gelado da criatura era um convite ao êxtase sexual, uma delícia que despertava todos os desejos que ele julgava estar preparado para resistir.

Este deleite, todavia, tinha origem malévola. E pretendia cobrar caro de Willian cada instante de luxúria.

E não apenas dele...

A história que anima a novela O Cântico do Súcubo, de per si, é mais do que suficiente para despertar a atenção (e os sentidos) dos admiradores de literatura fantástica. Agora, some a ela o inquestionável talento de Georgette Silen em escrever de uma forma atraente, leve e habilidosa. Pronto: você está diante de um livro pequeno, mas intenso (MUITO intenso), que irá lhe arrebatar do princípio ao fim!

O primeiro texto que li da autora foi o conto Terceiro Reinado, publicado na obra SteamPink, uma publicação da Editora Estronho. Desde então, fiquei apaixonado pela escrita fluída e a maneira cativante que ela utiliza para contar suas histórias. As palavras escolhidas são sempre as mais adequadas para cada cena, o que possibilita ao leitor sentir-se mais próximo da trama, a ponto de acreditar que pode estar vivenciando os acontecimentos. É realmente muito prazeroso ler suas obras.
(Crédito: Foto Studio São José)

Uma batalha entre a castidade e a devassidão... Quem vencerá?

E eu lhe pergunto: para quem você irá torcer?

Abraça-me... Ama-me...

Uma novela deliciosamente sensual!



O Cântico do Súcubo / Georgette Silen

Buriti Editora, 2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário